26.6.14

Sayonara: Making Of / Diário de Produção

Quando me falaram deste projecto e da possibilidade de fazer uma BD de 4 páginas, fiquei um pouco incerta e amedrontada com o desafio, pois embora sempre tenha gostado tanto de anime como de manga, nunca me tinha visto a fazer BD ou sequer a trabalhar no estilo Mangá!
Fiquei a pensar no assunto e a pesquisar/estudar mais a sério os meandros e linguagem da BD (publiquei alguns desses estudos aqui), pois embora houvesse encorajamento exterior para o fazer, simplesmente não sabia se iria entender os específicos trâmites inerentes à BD, ainda mais ao Mangá, para fazer uma trabalho minimamente razoável... assim de repente!
Valeu-me a familiaridade com o universo nipónico, e todo o andamento, tão próprio do Mangá, que me pareceu instintivo.

Comecei por procurar um tema que me apelasse o suficiente e que exprimisse algo de válido. Estava nessa altura estava fazer um ano da tragédia em Fukushima e pareceu-me ser esse o tema mais lógico e ideal. Mas queria que esta fosse uma homenagem tanto ao povo japonês como à sua cultura. O tema nuclear estava novamente a inundar os media, mas pouco se falava da causa: o tremor de terra e consequente tsunami, a tragédia humana, abafada pelo derrame na central nuclear, mais as terríveis consequências humanas e ambientais.

Foi entre artigos e imagens que descobri o catalisador da BD, no artigo na BBC News. Resolvi contar uma das historias dos sobreviventes com, é claro, algumas alterações por respeito às historias originais e pessoas envolvidas. Daí que nunca mencionei a que tragédia me referia, pois o importante era o contexto, não o imediatismo deste.

Aqui fica uma amostra dos rabiscos e layouts originais...


 A figura da 1ª página tem uma historia curiosa,pois nessa altura estava a iniciar um outro projecto envolvendo retratos de gueixas (em pintura). O desenho inicial, dum desses retratos, acabou por se "infiltrar" na historia!


E assim começou a procura das personagens! Uma já tinha! Agora queria conhecer o resto delas...

Fiz várias tentativas, com diversas personagens.


Com a técnica escolhida e as personagens "incorporadas", faltava evidenciar a imensidão da destruição dos cenários o mais claramente possível. Para esse efeito, também fiz vários ensaios; aqui ficam alguns...


Depois, tentei compor o melhor possível as páginas, descobrir qual texto queria. Basicamente, fazer o trabalho de composição e de storytelling. Tentei não ser muito ambiciosa na elaboração de cada vinheta, apostando mais na leitura global das páginas, visto que a BD seria editada num formato relativamente pequeno.

De seguida, foi pôr "mão à obra"!


Fiquei satisfeita com o resultado final, embora haja sempre tanto que poderia ter sido feito melhor!

Sem comentários: